Marcas

oriscoeofioNo segundo ano do Ensino Fundamental as crianças ganham um presente que vai acompanhá-las por toda a vida e que faz parte de sua personalidade: a letra cursiva. Para ajudar as mãozinhas a deslizarem pelo papel, criando as letras, as professoras Carla, Sueli e Tânia, dos 2ºs anos do HWR, trouxeram a inspiração através dos livros “O Ponto” do Peter Reynolds e “O Risco e o Fio” da Ana Clara Cozendey. A letra cursiva, embora polêmica, entre alguns educadores, continua sendo tratada no HWR, como uma verdadeira obra da criança. Então, foi um dia de grande emoção, para os alunos, quando eles convidaram seus pais para conhecerem as histórias dos livros e apresentaram sua própria letra exposta no mural da escola.

 

 

Anúncios

Amadurecimento

Qudiadiaando os pequenos deixam o Ensino Infantil rumo ao 1º ano, eles costumam se achar enormes. Realmente, é um salto de maturidade. E, no começo, eles não querem nem saber de visitar o espaço do Infantil. Mas é comum chegar um dia em que a saudade bate. A Maria Clara já estava no 4º ano quando apareceu na sala da Natália, coordenadora do Ensino Infantil do HWR, querendo rever as salas. E, de repente, lá estava ela do alto dos seus nove anos conversando com os pequeninos do Infantil II: – “É tão boa esta escola… Eu era tão feliz aqui… Agora eu tenho tanta lição!”. A coordenadora e a professora, que estavam por ali, se divertiram com o eterno duelo entre a vontade de ser grande e de ser pequeno, no coração dos alunos.

Relações Afetivas

DIAADIA3A professora do ensino fundamental propôs uma conversa na sala do 3º ano sobre Relações Afetivas. A Thais, Coordenadora do Ensino Fundamental, foi convidada a participar. A ideia era gerar uma reflexão sobre as diferenças entre os indivíduos e a importância fundamental de respeitá-las. A professora estava atenta para o valor deste assunto no dia a dia daquela turma. De repente, uma aluna estava contando sua história e ficou emocionada começando a chorar. Sem que ninguém pedisse, um dos colegas foi até sua mochila, pegou uma caixa de lenços de papel e entregou carinhosamente para ela. Surpresas boas como esta fazem parte da vida de uma escola que privilegia as relações humanas.

O Segredo

DIADIA2A alfabetização é uma das fases mais emocionantes da vida de uma criança. No Henri Wallon Recrearte as professoras Vanessa e Stephanie do 1º ano usam de todos os recursos lúdicos possíveis para envolver as crianças no processo. Foi assim que uma delas contou para os alunos que algumas palavras carregam segredos. A palavra “ganhar” é uma delas. O encontro entre as letras “n” e “h” cria um som completamente novo. Muitas palavras carregam segredos como este e os pequenos ficam fascinados em descobri-los junto com a professora. Ponto para a alfabetização! Mas um dia uma mãe ligou para a Cristiane, Coordenadora do Ensino Fundamental, preocupada. O filho estava guardando um segredo que não podia contar. A mãe já havia insistido e o menino não contava. Era um segredo que a professora contou e ele não podia sair espalhando por aí. Depois de alguma conversa o caso ficou elucidado e a mãe pôde dormir tranquila: o garoto estava dando uma aula de ética e preservando com determinação o segredo da palavra “ganhar”.

Trajetória

diadiaTodo ano acontece: os alunos do 9º ano, prestes a deixarem o colégio, aparecem na sala da coordenadora do Ensino Infantil do Henri Wallon Recrearte. O pedido é sempre o mesmo: querem rever o espaço onde estudam os pequenos. O fato é que muitos deles começaram sua aventura no mundo da educação ali. Tinham acabado de deixar as fraldas quando vestiram pela primeira vez o uniforme da escola. E é bonito ver os jovens emocionados entrando nas salas, com a mão na boca, impressionados com os brinquedos que eram enormes e hoje não são mais. Vemos brilhar nos olhos deles uma rica trajetória de amadurecimento que a escola abraçou. Vemos o carinho com que tratam os que estão chegando. E, em momentos como este, temos a certeza de que valeu a pena.